Ir para o site...

CURSO DE TEOLOGIA GRÁTIS COM CERTIFICADO GRÁTIS

Falar em Público

O ato de falar é tão importante, quanto o ato de saber as coisas e de nada adianta falar se não tiver significado algum, ou mesmo se o que tiver dito não estiver inserido num contexto social. Tudo o que dissermos deverá estar ligado às idéias reais dos acontecimentos, pois, assim como os galhos não se desprendem das árvores, pois são responsáveis para sustentar frutos, a fala deve, também, funcionar como veículo de transmissão de pensamentos e idéias do ser humano. (profº Heraldo Meirelles)
“Quem pára de aprender está velho, tenha ele vinte ou oitenta anos. Todos aqueles que procuram aprender sempre permanecem jovens. A coisa mais importante na vida é manter a mente jovem”. (Henry Ford)

1. Pronúncia:
Pronunciar bem as palavras de forma distinta, correta e expressiva é uma necessidade de quem deseja se comunicar bem. Para adquiri-la, é necessário articular bem as cordas vocais, atentando para a ressonância correta das vogais e consoantes das palavras, observando o valor e importância de todas elas, identificando as sílabas tônicas e as finais.
Há uma tendência de diminuir palavras polissílabas, não articulando bem as consoantes, não formando direito as sílabas e, sobretudo, não pronunciando a última sílaba.
Ex: testemunh esplendidament
Articular exageradamente vogais e consoantes (tes-te-mu-nho / es-plen-di-da-men-te), identificando a sílaba tônica é uma maneira eficiente de combater esse vício.
Alguns problemas de pronúncia ou de emissão de voz são facilmente contornáveis, quando nos exercitamos através de leitura em voz alta, canto ou interpretação. Além disso, aprender a esquematizar mentalmente ou por escrito aquilo que se pretende dizer é um excelente exercício para se evitar os brancos e balbucio no momento da exposição oral.
2. Articulação
A boa articulação empresta nitidez às palavras e ressalta as qualidades da voz.
Os exercícios de articulação baseiam-se no extremo exagero com que se articulam palavras difíceis, centrando-se nas consoantes. Com isso, desenvolve-se a musculatura do céu da boca, a língua e os lábios.
Ex: tran-sa-ma-zô-ni-ca ar-ti-cu-lan-do de-sin-te-res-as-dís-si-mos.
3. Dicção
A dicção é a articulação artística da voz. Falar bem é dizer bem, o que depende do domínio que se possui da respiração. A boa dicção necessita:
 Correção ou boa emissão vocal, ou seja, a voz deve ser ampla para se entendida por todos. O começo do discurso deverá ser realizado em tom médio, a fim de permitir a passagem harmoniosa dos tons graves para os agudos;
 Fluidez ou fala sem cansaço, que se baseia na boa respiração, na adaptação do volume da voz à pessoa do comunicador e ao meio ambiente, na adoção de um equilíbrio entre a precipitação e a morosidade e, finalmente, na ausência de expressões e gritos irritantes;
 Variedade ou modulação da voz, que se baseia na regulação das entonações para se evitar a monotonia e a dicção gritada;
 Expressão ou realce, que consiste na busca de colorido para termos que expressam as idéias dominantes, distribuindo-se de modo oportuno às pausas e os silêncios.
Exercícios de Dicção e Articulação
 O prestigiador prestativo e prestatário está prestes a prestar a prestidigitação prodigiosa e prestigiosa.
 A prataria da padaria está na pradaria prateando prados prateados.
 Os quebros e requebros do samba quebram os quebrantos dos falsos santos.
 Brito britou brincos de brilhantes, brincando de britar.
 Branca branqueia as cabras brabas nas barbas das bruacas e bruxas branquejantes.
 Trovas e trovões trovejam trocando quadros trocados entre os trovadores esquadrinhados nos quatro cantos.
 As pedras pretas das pedreiras de Pedro Pedreiras são os pedregulhos com que Pedro apedrejou três pedras pretas.
 No quarto do Crato eu cato cravos encravados no crânio da caveira do Craveiro.
 O grude da gruta gruda a grua da gringa que grita e, gritando, grimpa a grade da grota grandiosa.
 O lavrador é livre na palavra e na lavra, mas não pode ler o livro que o livreiro quer vender.
 Plana o planador em pleno céu e, planando por cima do platô, contempla as plantas plantadas na plataforma do plantador.
 A laca aplacadora aplaca a dor da placa que a laca aplacou.
4. Ênfase
Determina o que realmente é importante num enunciado. Ela dá vida, energia e expressividade ao pensamento e à fala.
A ênfase é sempre atentar para que nas pronúncias de certas palavras perdurem seu sentido expressivo, através da variação de seus tons e velocidade, assim como o volume e o tom de voz. Tudo isso evita a monotonia. Sem entonação apropriada a comunicação torna-se desinteressante, perdendo freqüentemente a capacidade de convencer.
Falar sem acanhamento
É preciso ter autoconfiança para falar bem. Para perder a timidez devemos falar com sinceridade e sobre assuntos que conhecemos bem. Isso requer um bom conhecimento daquilo que vamos falar. É necessário, em alguns casos, treinamento adequado, com roteiros e scripts.
Ritmo
O ritmo empregado na comunicação oral denuncia geralmente o estado psicológico de quem fala. Quatro motivos determinam o falar depressa demais e, conseqüentemente a falha na comunicação:
O nervosismo — O hábito adquirido — A preocupação como a limitação de tempo — O excesso de entusiasmo:
Alguns pensamentos podem ser transmitidos numa velocidade maior. Os mais importantes, no entanto, requerem maior lentidão para se fixar e impressionar mais. O uso da pausa possui valor comunicativo, pois dá, ao ouvinte, a oportunidade de pensar, ao mesmo tempo em que enfatiza as idéias transmitidas.
É sabido que o contato com o público quase sempre desencadeia uma situação de nervosismo e ansiedade. Esse estado costuma manifestar-se antes e no início do ato de falar e expor-se.
Para assumir o controle da situação e evitar tais embaraços é preciso pensar que sua performance seja adequada e convincente. Mentalize, então, pensamentos positivos, tipo: eu posso, eu vou conseguir; eu sou poderoso. Atente também para que antes mesmo de entrar em cena no ato de falar em público, concentre-se para tomar a atitude acertada e procure inspirar profundamente e expirar vagarosamente, pois isso fará com que os batimentos cardíacos sejam controlados, resultando domínio e equilíbrio para todo ritmo nervoso, inclusive melhorando a fala. Ter autoconfiança já ajuda a superar o medo e equilibra a mente para ótimos resultados.

Relação de Palavras para Treinar a Fala

Alterar
Alternar
Altitude
Amídalas
Bagalhoça
Bibliofilia
Bilirrubinemia
Brilhante
Charlatão
Cheiroso
Chifradeira
Chouriço
Chusma
Delegação
Extraordinário
Fascículo
Formidável
Gastroconjutivite
Genética
Geneticista
Impressionante
Impreterivelmente
Incontestavelmente
Inconstitucionalissimamente
Infalibilidade
Ininterruptamente
Instrutivo
Insuficiente
Irreflexivo
Lançadeira
Langanho
Lanígero
Manifestação
Mogilalismo
Morfologistico
Multissecular
Náliade
Narcotização
Negligenciar
Neoplatonismo
Numismática
Oftalmotorrinolarigologista
Ortodoxo
Ovovíparo
Paralelopidedo
Paraplégico
Pecocinho
Perlapatice
Poliorcético
Pressumível
Pulsação
Reavivar
Recrudescer
Responsabilidade
Salsicha
Susceptibilidade
Displiscência
Reencarnação
Ressurreição
Estereotipado
Lambarisqueiro – come um pouco de cada coisa sem tornar aquilo sua refeição
Laboriosidade
Imperceptibilidade
Imperfectibilidade
imperturbabilidade.
Lactescência ou latescência
Esta seção apresenta 134 Trava-Línguas.
Forma de linguagem usada por adultos e crianças que se divertem com dificuldades de pronunciação das palavras, as quais ditas várias vezes, rapidamente, travam a língua de quem as pronuncia. O trava-língua é, para muita gente, o maior divertimento, mas em tudo vai um pouco mais: é a sabedoria popular. Tente pronunciar mais rápido possível, sem gaguejar e sem travar a língua e se torne o trovador destravando a língua e falando em público.
Tudo indica que Amadeu Amaral e Alcides Bezerra foram os autores do termo trava-língua. É também conhecido como parlenda com obstáculo ou problema para desenferrujar a língua, porque quando dita pelas pessoas com rapidez freia a língua de quem a está pronunciando.
Muitas trava-línguas quando pronunciadas de maneira rápida resultam em cacofonia (sons desagradáveis ou palavras obscenas, resultantes da união das sílabas finais de uma palavra com as iniciais da seguinte).
É um recurso muito utilizado por repentistas para derrotar o adversário em pelejas.
Podem aparecer também em forma de quadra:
Procure ler e pronunciar estas:

01. A ARANHA I
A aranha arranha a jarra, a jarra arranha a aranha.
Dentro daquele jarro teu duas aranhas, nem as aranhas arranham o jarro, nem o jarro arranha as aranhas.
Se a aranha arranha a rã, se a rã arranha a aranha, como a aranha arranha a rã? Como a rã arranha a aranha?
02. ARANHA II
Aranha, tatanha, aranha tatinha, tatú é que arranha a tua casinha.
03. A TIA DA TERESA TERÁ UM TRECO
Teresa tem trinta tiaras de tricô. A tia da Teresa tem trezentos talheres trazidos da Itália. Terá Teresa trocado para trazer os trezentos talhares da tia? Se não tiver trocado, Teresa trocará as trinta tiaras com a tia. Trinta tiaras de tricô?A tia da Teresa terá um treco!
04. A FIADEIRA
A fiandeira fia a farda do filho do feitor Felício.
05. ARARA DA IARA
Iara amarra a arara rara, a rara arara de Araraquara. A Iara tem uma arara rara Que arranhou a Iara Rarrara e rara
06. A LONTRA
A lontra prendeu a tromba. Do monstro de pedra. E a prenda de prata de Pedro, o pedreiro.
07. A FROTA
A frota de frágeis fragatas, fretada por um franco frustrado, enfreado de frio, naufragou na refrega, por frementos frecheiros africanos.
08. ATRÁS
Atrás da porta torta tem uma porca morta
09. A NAJA
A naja egípicia gigante age e reage hoje, já.
10. A SAPA
A sapa de Sapopemba
Trata seu sapo a sopapos.
A sapa no tapa é taco,
Coitado do sapo, é sopa.
A sapa sobe no toco,
Saca dum saco um soquete
Sapeca soco no sapo.
E o sapo sabe de sobra
Que está no papo.
Que sapa!
11. BATATA
Batata rara Bateu na batata doce E a batata chorou. A batata doce Bateu na batata frita
A batata frita falou:
A batata rara teve batatinha
12. BLUSA
Blusa de ceda preta. (leia rápido)
13. BOLAS
Fui à loja do Sr. Bolas comprar bolas. Ora bolas para o Sr. Bolas que não tinha bolas na loja das bolas.
14. BATE
Bote a bota no bote e tire o pote do bote.
15. CROICODILO
É crocogrilo? É cocodrilo? É crocodilo? É cocodilho? É crocodilho? É crocodilo? É cocordilo? É jacaré? Será que ninguém acerta. O nome do crocodilo mané?
16. CHATO.
No morro chato tem uma moça chata, com um tacho chato no chato da cabeça. Moça chata, esse tacho chato é seu?
17. CONGELO
Eu congelo a água gelada com gelo que tem selo à prova d’água.
18. CROCANTE
Que crocante que é Kri Crocante.
19. CHICO PRETO
O peito do Chico preto é mais preto que o preto do Chico preto
20. CACÁ
O que é que Cacá quer? Cacá quer caqui. Qual caqui que Cacá quer? Cacá quer qualquer caqui.
21. CARICATURA
Se o caricato caricterizasse a caricatura do caricato, com que o caricato caractiraria a caricatura do caricato.
22. CINCO
Cinco bicas, cinco pipas, cinco bombas.
Tira da boca da bica, bota na boca da bomba
23. CAIXA
Caixa de graxa grossa de graça
24. DEVORA
Devora Dor Doída, Distante Da Dor Desmedida, Daquilo Dista Dimensões, Do Devorador Disto!
25. DOCE MAIS DOCE
O doce perguntou pro doce qual era o doce mais doce é o doce respondeu pro doce que o doce mais doce é o doce de batata-doce
26. DIGO DIOGO
Quando eu digo, digo, não digo, Diogo? Quando digo, Diogo, não digo! Digo, por isto eu digo: digo ou Diogo?
27. DEDO, DIA, DADO.
É um dedo é um dado é um dia. É um dia, é um dedo, é um dado. É um dedo, é um dia, é um dado. É um dia, é um dedo, é um dado. É um dado, é um dia, é um dedo.
28. DESINQUIVINCAVADOR
O desinquivincavacadro das caravelarias. Desinquivincavacaria as cavidades Que deveriam ser desenquivicadas.
29. DROMEDÁRIO
Dromedário, Dromedálio, Domedrário ou Domedrálio? É mais confuso que baralho, que rima com… sopa de alho!
30. FEIJÃO
Feijão, melão, pinhão, mamão. Meijão, malão, feinhão, pimão. Pijão, feilão, manhão, memão. Majão, pilão, menhão, feimão.
31. FIO
Fia, fio a fio , fino fio, frio a frio.
32. FATO E FITA
Não sei se é fato ou se é fita. Não sei se é fita ou se é fato. O fato é que ela me fita mesmo de fato.
33. FARINHA
Farinha farofa
Faro fino de fino figo
Filho da filha de farra festa
Do ferro firme
Que fazia fa fi fo fu
Mas não fazia fé.
34. FERRO
Quem com ferro, fere, com ferro, será ferido.
35. GABIROBA
Um pé de gabiroba bem gabirobadinho, quem bem o desingabirobasse bom desengabirobador seria.
36. GREGO, GAGO, GAGÁ.
Um grego é gago, outro grogue é gagá. Tem um grego gagá e um grogue gago. Tem também um grego grogue e um gago gagá.
37. GATO
Gato escondido com rabo de fora tá mais escondido que rabo escondido com gato de fora
38. ITAQUAQUECETUBA
Quem nasce em Itaquaquecetuba é itaquaquecetubense, quem nasce em Caraguatatuba é caraguatatubense.
39. JOGUEI
Joguei o jogo no jóquei João. O júri jurou ante os jurados. Jurema jogou a jarra no jacaré.
40. LARGA TIA
Larga a tia, larga tixa! Lagartixa, larga a tia! Só no dia em que sua tia chamar largatixa de lagartixa.
41. LALÁ
Lalá, Lelé, Lili e sua filhas. Lalalá, Lelelé, Lilili, e suas netas. Lalelá, lelalé e lileli e suas bisnetas. Lilelá, lalilé, lelali e suas tataranetas. Laleli, Lilalé, Lelilá e cantaram em coro. Lalelilelilalá, lalelálelélili.
42. LELEU
Leleu leu o livro que Lya lhe deu (leia rápido 3 vezes)
43. LÁ VEM O PATO
Lá vem o pato, pata ti, pata açula, lá vem o pato, para ver o que que há!
44. LIGO A LIGA
Eu não ligo para a Liga, Porque a Liga não me liga. Se a Liga me ligasse, Eu ligava para a Liga. Mas como a Liga não me liga, Eu não ligo para a Liga.
45. LÍNGUA
A língua lânguida lambe a seiva da boca. Cada lambida líquida saliva o sulco salino e seca, o suco sugado, saboroso e salgado!
46. LUIZA
Luisa lustrava o lustre listrado, o lustre listrado luzia.
47. MEFISTÓFES
Mefistófeles felestofisme fez com que tomelesfisse os lesfemefistos e os fisfemetoles com os tolesmefifes. Foi daí que nasceu um metofisfeles felestofismezinho
48. MULHER BARBADA
A mulher barbada. Tem barba boba babada. e um barbado bobo. Todo babado!
49. MARTELEIRO
O marteleiro acertou Marcelo com o martelo. Martelo, marteleiro, martelada, Marcelo, dor que não quero!
50. MILHÃO
Meio milhão, dez limões, dois milhões, nove limões, três milhões, oito limões, quatro milhões, sete limões, cinco milhões, seis limões, seis milhões, cinco limões, sete milhões, quatro limões, oito milhões, três limões, nove milhões, dois limões, dez milhões, meio limão.
51. MARIA MOLE
Maria mole é molenga. Se não é molenga. É coisa malemolente, Nem mala, nem mola, Nem Maria, nem mole.
52. MAMÃE
Mamãe mandou mamar mamão e melão
Mamei o mamão e o melão
Mamãe mandou de novo mamar mamão e melão.
Ah, mamãe, mamar de novo, mamãe!
53. O MOLHO
O molho de chaves caiu no molho de tomate, ficou molhado, avermelhado, envergonhado.Molho molhado no molho de tomate é disparate, não o maltrate!
54. NINHO DE MAFAGAFOS
Num ninho de mafagafos, há cinco mafagafinhos. Quem os desmafagafizar, bom desmafagafizador será.
Um ninho de mafagafas. Tinha seis mafagafinhos. Tinha também magafaças, Maçagafas, Maçafinhos, Mafafagos, Magaçafas, Maçafagas, magafinhos. Isso além dos magafafos. E dos magafagafinhos.
55. O CAJU
O caju do Juca e a jaca do Cajá, o jaca do Juju e o caju do Cacá.
56. O ORIGINAL
O original nunca se desoriginou e nem nunca se desoriginalizará.
57. OFTALMOTORRINOLARINGOLOGISTA
O oftalmotorinolaringologista, inconstitucionalissimamente resolveu estudar o esternoclidomastóideo.
58. O TICO-TICO
O tico-tico é amigo do Tico e do Téco. O Tico gosta mais do tico-tico e o Téco mais do Tico.
Com o tico-tico, Tico e Téco tudo dá certo!
59. O RATO
O rato roeu a roupa do rei de Roma, rainha ruim resolveu remendar e raivosa rasgou o resto
60. O VELHO
Por aquela serra acima. Vai um velho seco e peco. -Ó seu velho seco e peco! Este cepo seco é seu?
61. O AVÔ
O avô pegou o ovo e deu para a avó Ovete.
62. O SEU TATÁ
Vou à casa do seu Tatá, mas eu sei que o seu Tatá não tá, mas a esposa do seu Tatá tando é o mesmo que o seu Tatá tá.
63. ORNITORRINCO
Não confunda ornitorrinco com otorrinolaringologista, ornitorrinco com ornitologista, ornitologista com otorrinolaringologista, porque ornitorrinco é ornitorrinco, ornitologista e ornitologista e otorrinolaringologista é otorrinolaringologista.
64. O PIADEIRO
O Pedrinho é um bom piadeiro e eu sou Piadeiro Profissional! Piadeiro por profissão, mas não sou só piadeiro não! Pedrinho também é piadeiro dos bons
65. O JURISTA
O Jurista ou jurisconsulto? Jurisprudência, Júri, Jurídico, Jurisdição, Juris Tantum, Juti et Juri… Juro, é jurisconfuso!
66. O PRINCÍPIO
O princípio principal do príncipe principiava principalmente no princípio principesco da princesa.
76. O CARA
O cara com o carro saiu correndo da casa. O cara foi ver o cachorro Que não estava Mas o cachorro estava Na linha da trilha do carretel.
68. O DEDO
O dado quebrado quebrou o dado de sete bolinhas
O dado de sete bolinhas ficou danado
E deu uma danda paulada
E o dado que quebrou o dado de sete bolinhas ficou danado
E deu uma danda bolada com a bola do dado dedo
Dado dedo ficou danado
E deu uma danda paulada no dado que quebrou o dado de sete bolinhas e no dado de sete bolinhas
E o dado que quebrou o dado de sete bolinhas falou:
— Oh, dado dedo, o que é que eu fiz?
— Eu não sei.
69. O ELEFANTE
O elefante raro
Raro é o elefante caçador
Que caça outro elefante raro
E sempre se enrola no rabo.
70. O GATO
O gato Gargalha gargalhou
Em cima do galho
Depois o gatoto e a gatata gargalharam e pegaram
O gato Gargalha gargalhando no galho
71. O BEBÊ
O bebê bebe a bebida no bico do bule da bandeja e baba na aba do boné do bobo
72. O SAPO
O sapo sapeca entrou no sapato
Sapateou…
Sapateou…
Sambou…
Sambou…
Escorregou no sabão
73. O TRATOR
O trator trocou tatu
Tatu trocou trator
Os dois trocaram um trato
Fizeram um texto trocado
74. PAPA
Se o papa papasse pão, se o papa papasse papa, se o papa papasse tudo, seria um papa papão!
75. PEDRO
Pedro tem o peito preto. O peito de Pedro é preto. Se o peito de Pedro é preto, o peito do pé de Pedro é preto?
76. PATY
Paty pede pro papai pegar a pá e o pote de patê de presunto na primeira prateleira da padaria do primo Pedro.
77. PARDAL
Por que palras pardal pardo? Palro e palrarei porque sou pardal pardo palrador mor Del rei.
78. PRESTIDIGITADOR
O prestidigitador prestativo está preste a fazer uma prestidigitação prodigiosa e prestigiosa.
79. PINGA
Pinga a pipa dentro do prato, pia o pinto e mia o gato.
Pinga a pia a pia pinga, quanto mais a pia pinga mais o pinto pia.
Debaixo daquela pia teu um pinto, quando a pia pinga no pinto o pinto pia.
A pia pega o pinto. O pinto pega a pia. Quanto mais o pinto pia, mais e mais a pia pinga.
80. POUCOS COPOS
Como poucos copos comprei. Poucos copos paguei
81. PATO, RATO, GATO
Pega o pato, dorme o gato, Foge o rato, pega o gato, Dorme o rato, foge o pato, Pega o rato, dorme o pato, Foge o gato.
82. PARALELEPIPEDOS
Disseram que na minha rua. Tem paralelepípedo feito de paralelogramos. Seis paralelogramos têm um paralelepípedo. Mil paralelepípedos têm uma paralelepipedovia. Uma paralelepipedovia tem um paralelogramo. Então uma paralelepipedovia é uma paralelogramolândia!
83. PERLUSTRANDO
Perlustrando patética petição produzida pela postulante, prevemos possibilidade para pervencê-la porquanto perecem pressupostos primários permissíveis para propugnar pelo presente pleito, pois prejulgamos pugna pretárita perfeitíssima.
84. PORCO
Em Piaçabuçu: “porco crespo, toco preto”. Porco fresco, corpo crespo, toco preto. “Bagre branco, branco bagre”.
85. PREGO
Pedro prega o prego preto no porto prateado e prediz perguntando pra platéia por que produz e provoca a palavra pregando promessa pra Pedro Peloponeso.
86. PATO PATOLINO
O pato Patolino deu patada na pata Patativa!
87. PACA
Quem cara paca compra, paca cara pagará. Quem compra paca cara, pagará cara paca.
88. PADRE
O padre Pedro partiu a pedra no prato de prata. A pedra partiu o prato de prata do padre Pedro.
89. PEDRO PELUDO
Pedro preto peludo no peito levou pedrada na perna quebrada dada pelo pedreiro, no terreiro!
90. PEDRINHO
Pedrinho Goltara bateu com a vara de taquara na cara de um cara que riu da sua cara. Cara de taquara, Goltara te passa a vara!
91. PERLUSTRANDO
Perlustrando patética petição produzida pela postulante, prevemos possibilidade para pervencê-la porquanto perecem pressupostos primários permissíveis para propugnar pelo presente pleito, pois prejulgamos pugna pretárita perfeitíssima.
92. PERERECA
A perereca Sapeca ficou pererecando com outra perereca careca que fazia questão de ser sapatão e pra mostrar sua perereca tirou a cueca!
93. QUADRO
Há quatro quadros três e três quadros quatro.
Sendo que quatro destes quadros são quadrados, um dos quadros quatro e três dos quadros três.
Os três quadros que não são quadrados, são
dois dos quadros quatro e um dos quadros três
94. QUEIJO
Queijo Quindim Quico
Gosta de queijo e quindim
A Queli, mãe de Quico, vai fazer queijo e quindim.
95. REBOLA
Rebola reboladeira, menina reboladora. Rebolando é que se rebola, cuidado para não pegar o “amigo” do ébola!
96. RETRETA
Quando toca a retreta na praça repleta se cala o trombone se toca a trombeta
97. SAPO SABINO
O sapo Sabino sabia da sua saborosa sopa. O Sapo Sapudo só sabia que o Sapo Sabino sabia. O Sapo Sabino não sabia que o Sapo Sapudo sabia que ele sabia. A saborosa sopa suculenta tinha até polenta!
98. SABIA
Sabia que o sabiá sabia assuviar?
99. SÓ
Só sei, que sei, que não sei que nada sei!
100. SOM SEM COR
Som sem cor, cor sem som.Som com sem, som sem com. Cor sem cor som. Com cor, cor com. Sem cor sem. Som com, cor som. Coro (Augusto Campos)
101. SUCESSIVA
A vida é uma sucessiva sucessão de sucessões que se sucedem sucessivamente sem cessar, sem suceder o sucesso…
102. SABIÁ
O sabiá não sabia. Que o sábio sabia. Que o sabiá sabia. Que o sábio não sabia. Que o sabiá não sabia. Que a sabiá não sabia. Que o sabiá sabia assobiar
103. SABER
Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos, ambos saberemos se somos sábios, sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores.
104. SE VAI-E-VEM
Se vai-e-vem vai e vem, vai-e-vem vai, se vai-e-vem vai e não vem, vai-e-vem não vai…
105. SHE
She sells sea shells in the sea shore.
106. SE SESSENTA…
Se sessenta e seis cerras cerram sessenta e seis cerejeiras, seiscentos e sessenta e seis cerras cerrarão seiscentos e sessenta e seis cerejeiras.
107. SABER
Saber e querer, quem sabe vivi de saber querer saber, quem não sabe quer saber viver, vivendo a vida de saber e que é o saber sem saber querer!
108. SOU
Sou rouco e mouco um pouco louco
109. SE
Se o bispo de Constantinopla a quisesse desconstantinoplatanilizar não haveria desconstantinoplatanilizador que a desconstantinoplatanilizaria desconstantinoplatanilizadoramente
110. SE CADA
Se cada um vai a casa de cada um é porque cada um quer que cada um lá vá.
Porque se cada um não fosse a casa de cada um
é porque cada um não queria que cada um fôsse lá.

111. TATI
Tati tatibitate, no tibete titubeou, em Itatiba bateu botas, em Itumbiara itaquaquecetubou!
112. TOCO
Toco cru embaixo d’água.
Toco cru pegando fogo.
Toco cru embaixo d’água.
Toco cru pegando fogo.
Toco cru embaixo d’água.
Toco cru pegando fogo
113. TAGARELEI
Tagarelarei, tagarelaras, tagarelará, tagarelaremos, tagarelareis, tagarelarão.
114. TATIBAQUÍGAFO
Tatibaquígrafo aqui não grafa, sem garfo, girafa e garrafa, taquigrafou no telégrafo, até que taquicardia atacou.
115. TRINCA
Uma trinca de trancas trancou o Tancredo.
116. TOCADOR
O tocador foi tocado com um taco tacado por um trocador!
117. TRAVA
Essa trava é uma trova pra te entravar. Entravar com uma trova é uma trava de lascar!
118. TRÊS
Três pratos de trigo para três tigres tristes. Um tigrinho, dois tigrinhos, três tigrinhos.
119. TEMPO
O tempo perguntou pro tempo, quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu pro tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo o tempo tem. O tempo perguntou pro tempo, Quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu pro tempo Que não tem tempo pra dizer pro tempo. Que o tempo do tempo. É o tempo que o tempo tem
120. TATU
-Alô, o tatu taí? -Não, o tatu num tá, mas a mulher do tatu tando, é o mesmo que o tatu ta.
121. TIA TANTÃ
Tinha tanta tia tantã, Tinha tanta anta antiga, Tinha tanta anta que era tia, Tinha tanta tia que era anta.
122. TAQUIGRAFIA
Taquigrafia para quem não tem boa grafia. Bom taquígrafo não é bom grafador. Grafia por grafia, não tem haver com serigrafia nem com monografia!
123. TATUADOR
O tatuador tatuado tatuou a tatua do tatu. Tatua tatuada enfezada, tatuou o tatu e o tatuador já tatuado!
124. TROCA
Troca o trinco, trás o troco, traz o troco, troca o trinco.
125. UMBU
Lá de trás de minha casa
Tem um pé de umbu butando
Umbu verde, umbu maduro,
Umbu seco, umbu secando. (do filme: Central do Brasil)
126. VACA
A vaca malhada foi molhada por outra vaca molhada e malhada.
127. VACA PRETA
Quero que você me diga
Sete vezes encarrilhado,
Sem errar, sem tomar fôlego,
Vaca-preta, boi pintado!
128. VIDA DE VIDA
VIDA difícil é a VIDA de um homem que VIVE a VIDA ENVOLVIDA na VIDA de uma mulher da VIDA.
129. VELHO FÉLIX
Lá vem o velho Félix. Com um fole velho nas costas Tanto fede o velho Félix Como o fole do velho Félix fede
130. VENTO
Vento veloz e vingativo varre a Varzea com violência voraz
131. VIRAMOS
Viramos e vimos o vôo das aves e o velho velhaco, vilão, vira-se veloz e vingativo na relva verdejante do vale de onde as vacas voltavam.
132. XUXA.
Xuxa, a chata da Sacha fez xixi no chão da sala.
133. XUXA 2
A Xuxa teve filha Xaxa. A Xaxa tem chinelinho xadrez. E o gato da Xuxa é xadrez
134. ZÉ
Zé é, ducatiribé salamacuté fifirififé Cadé a Aninha inha ducatiribinha salamacutinha fifirififinha?
Saiu com a Rute ute, ducatiribute salamacutute fifirificute, Visitar o João ão, ducatiribão salamacutão fifirififão.

CURSO DE TEOLOGIA GRÁTIS COM CERTIFICADO TAMBÉM GRÁTIS - lIGUE: 1141716380

Nossas Redes Sociais

Em breve começaremos a postar conteúdo em nossas redes sociais. Siga-nos e aguarde.

Atenção! Estamos em FASE DE TESTE, algumas funcionalidades ainda estão sendo desenvolvidas e as disciplinas ainda estão sendo organizadas e divididas em lições e aulas. Se você quiser nos ajudar, clique aqui (ou se tiver whatsapp, clique aqui) e envie o seu feedback sobre como podemos construir o melhor curso de Teologia GRATUITO do Brasil. Obrigado!